Educar para a Sustentabilidade exige um olhar sistêmico do mundo e o papel do Educador é fundamental para conectar reflexões e ações sobre temas complexos. Isso permite construir valores e práticas em prol da construção participativa de uma sociedade sustentável.

A educação é o principal caminho para o pleno desenvolvimento humano, mas é um enorme desafio elaborar projetos que promovam hábitos saudáveis e sustentáveis numa época em que a destruição da natureza é intensa, estimulada por nosso atual modelo consumista de desenvolvimento.

O projeto EcoAtivos apoia professores e gestores nesse caminho, entendendo que Educar para a Sustentabilidade é um processo permanente de transformação e regeneração dos indivíduos e da sociedade.

Para fortalecer a formação dos professores e gestores participantes do projeto, haverá uma formação presencial e outra à distância para melhorar a realização de bons projetos na escola. Todos receberão certificados do Instituto Alana, reconhecidos pelas Secretarias Municipais e Estaduais de Educação das 5 regiões do Brasil.

Os conteúdos e metodologias das formações do EcoAtivos e de seus materiais pedagógicos estão baseados em políticas públicas e documentos internacionais, tais como: Política Nacional de Recursos Hídricos (Lei nº 9.433 de 1997), Política Nacional de Educação Ambiental (Lei nº 9.795 de 1999), Política Nacional de Mudanças Climáticas (Lei nº 12.187 de 2009) e Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305 de 2010), Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Decreto nº 7272 de 2010) da e, finalmente, a Política de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente (Decreto nº 13.123 de 2015), Carta da Terra, Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e Tratado de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis de Responsabilidade Global.

Formação Presencial

A formação presencial irá sensibilizar para a importância dos projetos de Educação para a Sustentabilidade, envolvendo as diversas áreas do conhecimento, além de estimular o protagonismo infantil e a interação com a comunidade, identidade e a realidade local, permitindo desenvolver novos hábitos saudáveis e sustentáveis com todos os comprometidos.

Será utilizada a metodologia da “Flor da Cultura da Sustentabilidade”, que orienta a realização de um diagnóstico participativo que propicia a compreensão dos problemas locais e da escola, fomentando a mudança de pensamento e comportamento. O método também leva à criação de soluções viáveis e ecológicas a curto, médio e longo prazo.

A formação presencial terá 8h, e será realizada entre fevereiro e abril de 2018, nas sete cidades envolvidas no EcoAtivos: Belém (PA), Brasília (DF), Canoas (RS), Novo Hamburgo (RS), Porto Alegre (RS), Salvador (BA) e São Paulo (SP).

Formação On-line

A participação nesta etapa da formação é fundamental para realização de bons projetos. Seus conteúdos estão ligados à alfabetização ecológica e a compreensão dos atuais desafios sociais, ambientais e econômicos que a humanidade enfrenta para a construção de sociedades sustentáveis. O papel da Educação neste processo de transformação também será abordado.

Para o curso on-line, haverá a utilização da plataforma Moodle no modelo auto instrucional. A carga horária da formação à distância terá 32h e irá acontecer entre os meses de abril a julho de 2018, sendo obrigatória a participação no módulo básico de 12h e depois os participantes podem escolher no mínimo dois módulos temáticos, para receber o certificado de 32h. Cada módulo temático tem a duração de 10h.

O curso on-line será organizado em duas partes: o básico e o temático

Os conteúdos da formação on-line estão voltados à alfabetização ecológica e à compreensão dos atuais desafios sociais, ambientais e econômicos que a humanidade deverá enfrentar nos próximos anos para a construção de uma sociedade sustentável. O curso está organizado em duas partes: o básico e o temático, num total de 62 aulas, ministradas na plataforma Moodle modelo autoinstrucional.

As aulas são compostas de textos, vídeos (animações, documentários e entrevistas), PDFs, ilustrações, fotos, sites, músicas e exercícios e têm duração, em média, de 1 hora. No curso são abordados 335 vídeos, 138 PDFs e 162 sites. Além disso, na sessão Dicas, são indicados 390 materiais complementares, como bibliografias, filmes, sites e músicas que se refiram aos temas de cada aula.

O módulo básico constitui-se de duas partes: o introdutório e o metodológico.

As aulas do introdutório abordam os temas: Visão sistêmica, Pegada ecológica, A história das coisas; Mudanças climáticas; Publicidade infantil; ODS – 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável; Carta da Terra; Criança e Natureza; Território do brincar.

Em sua metodologia, as aulas abrangem explicações sobre como utilizar a Flor da Cultura de Sustentabilidade para desenvolver um diagnóstico participativo, criando mapas dos saberes (da comunidade e dos parceiros), por exemplo, um mapa verde da escola, e orientações de como elaborar projetos contando com o protagonismo das crianças e da comunidade local.

A primeira parte do módulo básico que traz a introdução do curso de Educação para a Sustentabilidade contém oito aulas, trazendo o desafio de uma aprendizagem com visão sistêmica do conhecimento. Para tanto, apresentamos a ferramenta de educação ambiental, a “Pegada ecológica”, que mede o impacto de cada um de nós no consumo dos recursos naturais do planeta Terra, associando esse aprendizado à animação A história das coisas, que aborda as relações da economia no mundo e seus impactos socioambientais, tendo como resultado as “Mudanças climáticas”. Na perspectiva de focar na criança e em nosso futuro comum, este módulo discute os efeitos do consumismo, por meio da aula “Publicidade infantil” e dos “17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável”, que deve nos inspirar a sonhar, planejar e caminhar para um novo tempo, em que a ética e a dignidade humana sejam a base das relações! Para isso, temos um documento de referência internacional, a “Carta da Terra”, elaborada e traduzida por muitas nações, a qual traz 16 princípios, organizados em quatro temas: respeitar e cuidar da comunidade da vida; integridade ecológica; justiça social e econômica; democracia, não violência e paz. Para finalizar este módulo introdutório, são apresentados dois programas do Instituto Alana que valorizam a relação da “Criança com a Natureza” e o brincar livre das crianças, por meio das experiências vivas do “Território do brincar”. Aproveitem e desfrutem essas aulas, que trazem inspiração e novos horizontes para a educação no Brasil.

Básico – O curso básico será composto pelas aulas:

Curso básico

  • Introdução
    • Pegada Ecológica
    • A História das Coisas
    • Mudanças Climáticas
    • Publicidade Infantil
    • ODS – 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável
    • Carta da Terra
    • Criança e Natureza
    • Território do Brincar
  • Metodologias
    • Construindo a “Flor de Cultura da Sustentabilidade”
    • Criando mapas (saberes da comunidade, parceiros e mapa verde da escola)
    • Como criar projetos que nascem das pétalas da flor da cultura de sustentabilidade.

Temático

O módulo temático aborda seis conteúdos: Água, Espécies e ecossistemas, Segurança alimentar, Energia e tecnologia, Economia local e consumismo e Interação humana, com sugestões de atividades para os alunos a respeito de cada assunto.

Conheça as aulas de cada módulo temático:

Água

O módulo Água é composto de dez aulas e traz um novo olhar sobre nossa relação com a água e seu papel de regeneração. A água não deve ser considerada um recurso, mas um bem básico e precioso para a existência da vida na Terra. Assim, partimos de conteúdos relativos à formação de nosso planeta e da atual hipótese de onde surgiu a água. Mas, afinal, quanto temos de água na Terra e no Brasil e como a utilizamos? Será que existe água para tudo e para todos os seres vivos do planeta? Qual é a situação de nossos oceanos, que cobrem aproximadamente três quartos do planeta e nos trazem tantos benefícios? E a diferença entre pegada hídrica e água virtual, você sabe qual é? Sua escola conhece e atua em prol dos 10 princípios da Declaração Universal dos Direitos da Água que existe desde 1992? As bacias hidrográficas funcionam a partir da visão sistêmica da água, e nós explicamos a gestão dos comitês de bacia hidrográfica no Brasil e sugerimos a criação de um coletivo que cuide da gestão da água na escola. Mas você sabe quais são as principais bacias hidrográficas do Brasil e como está a qualidade de suas águas? Existe algum rio, córrego ou nascente próximo à sua escola? Qual é a situação dele(a)? Como podemos nos mobilizar, abraçar e cuidar de nossas águas? Estas e outras perguntas retratam a abordagem de conteúdo desse módulo. Mas, como são tantas questões relativas à água, é fundamental focar nos principais desafios do saneamento no Brasil, para que a educação possa mobilizar as pessoas na valorização de nossa relação com a água, resignificando-a localmente. Na maior parte de nossas cidades, os rios, os córregos e as nascentes estão contaminados, como se não tivéssemos nenhuma relação com essa situação, e a escola tem um local especial para trabalhar o resgate desses valores e práticas de sustentabilidade fundamentais à existência da vida na Terra. Para isso, propomos aulas sobre como recuperar nascentes e matas ciliares, como construir filtros e captar água de chuva, como montar sistemas biológicos de tratamento do esgoto e orientações para a montagem de uma estação climática com pluviômetro, biruta e termômetro, tornando essas atividades parte do dia a dia do cotidiano escolar e valorizando, assim, nossa relação com a Natureza, mais especificamente com a água e seus fluxos, os ventos e o clima local.

Aulas do módulo Água:

  • Formação da água no planeta. Quanta água existe em nosso planeta e no Brasil e como a utilizamos.
  • Como estão nossos oceanos na atualidade.
  • Pegada hídrica. Água Virtual. Declaração Universal dos Direitos da Água.
  • O que são e como funcionam as bacias hidrográficas e seus comitês.
  • Conhecendo as bacias hidrográficas da América do Sul, Brasil e a qualidade da água.
  • Água, Saúde e os desafios do saneamento no Brasil.
  • Como recuperar áreas de Nascentes e Matas Ciliares.
  • Como filtrar a água para consumo e captar água de chuva na escola.
  • Como montar sistemas biológicos para tratar a água cinza e negra.
  • Como montar sistema de medição climático – pluviômetro, ventos (biruta) e termômetro.

Espécies e Ecossistemas

  • Formação da terra e suas dinâmicas: a garantia da vida
  • Ecologia – Cooperação como ênfase nas relações entre espécies e os ecossistemas
  • Biomas brasileiros
  • Bichos do Brasil
  • Biodiversidade, florestas, cultura e produtividade
  • Atividades de integração com a Natureza

Segurança Alimentar

  • Hábitos alimentares no mundo e no Brasil
  • Sistemas agroflorestal e produção orgânica X Sistemas convencionais com uso de agrotóxicos (monoculturas).
  • Quem produz os alimentos no Brasil.
  • Nutrição e saúde.
  • Formação do solo vivo – microrganismos. Água e solo: irrigação, drenagem e cobertura morta.
  • Compostagem fábrica de solos vivos (com e sem minhocas).
  • Produção de sementes e polinização aberta. Como selecionar e plantar sementes. Como montar uma feira de trocas de sementes e plantas.
  • Como plantar e irrigar uma agrofloresta
  • Como montar uma horta orgânica.
  • Como montar minhocário, terrário, relógio de sol e rosa dos ventos.

Energia e Tecnologia

  • Como vivenciar os 5Rs no seu dia a dia.
  • De onde vem, como são processados e para onde vai o vidro, o metal, o papel, o plástico.
  • Quais são os resíduos perigosos e como devem ser tratados. O que fazer com o entulho?
  • Formas de tratamento sustentável e insustentável dos resíduos sólidos.
  • A importância das cooperativas de coleta seletiva no Brasil e na sua comunidade.
  • Como reduzir o consumo dos recursos naturais na escola, e como implantar coleta seletiva na escola.
  • Mobilidade e impactos do transporte no ambiente.
  • Uso de energia limpa e sustentável no Brasil. Energia solar, eólica e biocombustíveis.
  • Como montar um forno solar na escola. Como montar um cata-vento e produzir energia.
  • Princípios da Bioconstrução.

Economia Local e Consumismo

  • O que é economia local e solidária.
  • Consumo sustentável e ético dos recursos naturais.
  • Ecodesigner das embalagens e produtos
  • Como criar uma moeda local.
  • Como promover feira de trocas.
  • Promovendo jogos cooperativos.

Interação Humana

  • Direitos Humanos.
  • Espaço para a aprendizagem social.
  • Como desenvolver a cultura de Paz.
  • Exercitando troca de opiniões e consenso.
  • Comunicação não violenta.
  • Empoderamento e autonomia dos indivíduos.
  • Valorização da cultura brasileira e local.
  • Rituais de confraternização.
  • Festas sustentáveis.